Inadimplência


Pense no caso de um aluno de ensino superior particular que recebe algum tipo de financiamento por parte da instituição de ensino e enfrenta desafios financeiros. A lógica tradicional de cobrança não costuma ser muito efetiva para recuperá-lo — mais do que como bom pagador, como cliente satisfeito com a organização. Como inverter a lógica ao invés de simplesmente cobrá-lo? Um modo alternativo de ver o problema é estimular uma mudança de comportamento. Ajudando-o por meio da educação financeira, é possível reforçar a consciência dos benefícios práticos e concretos de um planejamento que o permitirá organizar suas contas, concluir sua graduação e dar uma melhor chance de progredir profissionalmente. Essa abordagem pode ser muito mais efetiva para reduzir tanto inadimplência quanto evasão.

Atualização de cadastro


Agora, pense no caso de um gestor público de um município que enfrenta dificuldades para cadastrar o público-alvo de programas sociais, como o Criança Feliz. A lógica tradicional de busca passiva, que usa a divulgação pelos canais oficiais do governo, espera que o beneficiário final manifeste interesse em participar do programa e não costuma ser muito efetiva para alcançar aqueles que mais precisam. Como inverter a lógica ao invés de apenas aguardar passivamente que os beneficiários se cadastrem? Um modo alternativo de ver o problema é engajar o cidadão. A partir do envio de conteúdo relevante e informações de seu interesse, o processo de engajamento apoiado em um canal de comunicação direto com o poder público estimula a demanda por programas e é capaz de impulsionar o cadastro, numa abordagem de busca ativa.
 
Português